Fazendo o upgrade do ROM do Samsung Galaxy i7500

otavio publicou em 22/09, 23:24 hs , e editou pela última vez há mais de 10 anos atrás.

Como já falei no post anterior, passei uma semana tentando entender o Android. Depois de muito ler, queria compartilhar minhas impressões, em bom português. Sim, porque quase tudo está em inglês ou italiano. Por conta da liberdade dos aparelhos na Itália, os fóruns romanos (não resisti ao trocadilho) são fonte de boa informação e upgrades oficiais (ou oficiosos).

Bom, vamos do começo. Meu Galaxy veio dos EUA via eBay. A versão do ROM era a i7500JVIG4. Muito bugada e o pior eu ainda estava por descobrir: primeiro, a aplicação do Market não stava disponível. E mais, fazer o update da ROM usando o software oficial da Samsung (o New PC Studio, ou NPS) é impossível. Sério! A Samsung pisou na bola e distribuiu uma aplicação incapaz de conectar ao seu próprio aparelho???? Tio Steve Jobs ri de orelha a orelha ao ver esse tipo de amadorismo.

Além, de bugs, um problema inerente à versão que veio no aparelho era o consumo excessivo de bateria. A bateria estava durando algo como 10h falando pouco (talvez usando um pouco a wireless). Agora, pós update está durando 1 dia. Apenas para deixar claro, 1 dia ouvindo música mais de 1h e usando a wireless também mais de 1h.

Rooting, flashing e o Odin

Nos fórums você vai ler muito sobre rooting, flashar e sobre o Odin. Mas falta a explicação básica. E sobre isso é que vou falar. Pra começar vamos falar sobre rooting e flashing.

Para quem usa Linux o conceito de rooting é automático. Rooting acontece quando você passa a ter poderes de root (administrador) do sistema operacional. E Android é Linux. Todos os processos de rooting que vi consistem em se aproveitar de uma falha de segurança, já corrigida, para trocar a imagem de recovery por uma que substitui o su por um su modificado sem senha. Eu não gosto dessa solução porque ela expõe o seu SO à invasão.

flashing (ou flashar) é aproveitar essas mesmas falhas para dotar seu Android de um boot loader (como o Grub). A aplicação conhecida é o flashrec do blog do Rye Brye (veja aqui um exemplo com o HTC Magic em português). Isso é muito interessante para testar novas funcionalidades que estão sendo constatemente desenvolvidas para o Android.

Mas eu não queria flashar. Só vou fazer isso se tiver algo que eu realmente queira muito. Senão é apenas levar trabalho para casa.

Falta então o que deveria ser simples. Fazer o upgrade da ROM. Para isso, usei esse arquivo aqui, que tem a versão I7500XXIH7. Como já disse no post anterior, as três últimas letras representam ano (I=2009), mês (H=agosto) e dia (no caso, versão, 7). Para uma explicação em italiano, veja aqui. Apenas por curiosidade, o JV da minha versão quer dizer:

JV = Algeria, Egypt, Iran, Iraq, Kuwait, Morocco, Nigeria, Oman, Pakistan, 
Saudi Arabia, South Africa, Syria, Tunisia, Turkey

Continuando. Junto desse rar da versão I7500XXIH7 temos alguns bônus. O primeiro é que por ser uma versão XX (ou seja, livre), o Market está liberado para aplicações gratuitas. Os próximos passos são:

  1. Antes de mais nada, tenha bateria. Menos de 50% de bateria disponível, nem tente isso.
  2. Se você quer fazer isso, saiba que está fazendo por SUA CONTA E RISCO.
  3. descompacte o I7500XXIH7.rar em uma pasta
  4. abra o Odin
  5. selecione os itens Ops, Bootloader, Phone e PDA.
  6. IMPORTANTE: O item CSC fica vazio mesmo. Isso é uma personalização para italianos apenas. Deixe em branco.
  7. Em seguida, coloque o seu Galaxy em posição para receber o download. Para isso:
    1. desligue o Galaxy
    2. conecte o seu Galaxy no cabo USB que liga ao computador
    3. aperte simultâneamente por 5 segundos os botões de abaixar volume, Ok e Encerrar chamada.
  8. você verá seu aparelho ser reconhecido como conectado na parte de cima.
  9. aperte Start

Após algum tempo estará ok e seu celular vai reiniciar.

Veja na imagem abaixo como fica:

É isso. Espero que depois eu possa falar sobre mais detalhes (que são muitos). Em geral, o aprendizado tem sido excelente.

Afinal, o Android é apenas um Linux Flavor que roda uma JVM (Dalvik é verdade, mas uma JVM), apenas para dar algum isolamento entre os processos e o núcleo do SO. Imagina todo mundo programando em C++ para o Android no que ia dar. Um pega o acesso do áudio e as outras aplicações ficam sem áudio, e coisas assim.

if(typeof jQuery == 'undefined'){ document.write("